Parlamentar destaca importância de ações para evitar o Aedes aegypti

Compartilhar

SÃO PAULO – O deputado Edmir Chedid (União) declarou nesta quarta-feira (18) que é preciso intensificar em nível municipal as atividades de combate ao Aedes aegypti, transmissor da chikungunya, dengue, febre amarela e zika. De acordo com o parlamentar, a infestação do mosquito é sempre mais intensa nesta época do ano em razão do volume de água acumulada e altas temperaturas.

“A água acumulada em excesso e o calor são fatores que propiciam a eclosão de ovos do mosquito. Por isso, para evitar esta situação, é preciso intensificar as medidas de combate e controle do vetor. Na maioria das vezes, são ações bem simples que podem salvar vidas e evitar uma epidemia; ações que devem começar em casa, visto que o mosquito tem hábitos domésticos”, explicou.

Para auxiliar a comunidade, o parlamentar passou a divulgar em suas redes sociais uma cartilha elaborada pela Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz, vinculada ao Ministério da Saúde. “Esta publicação, escrita de forma simples e direta, disponível para download, ensina como vistoriar sua própria residência, uma vez por semana, para evitar proliferação da doença”, afirmou.

“Dez Minutos Contra o Aedes: Saiba como Eliminar Focos do Mosquito da Dengue” é um guia de ação semanal que demonstra a maneira correta de como evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. “Esta cartilha traz um check list com 13 itens que devem ser fiscalizados semanalmente a fim de evitar o mosquito. Tudo muito simples, mas com informações importantes”, completou.

Para fazer download, clique aqui.

Cenário epidemiológico
Em 2022, o Brasil registrou 1.016 mortes em decorrência da dengue e 1,4 milhão de casos prováveis da doença – aumento de mais de 160% em relação aos casos registrados em 2021. O Centro-Oeste figurou como a região com maior taxa de incidência da doença: 2.086 casos para cada 100 mil habitantes; no Estado de São Paulo, Araraquara foi o município com maior índice da doença.

A infecção pode ser assintomática ou com sinais leves. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta, que pode durar de dois a sete dias. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, náuseas, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao sentir qualquer sintoma e na persistência dele, procure uma unidade de saúde mais próxima.

Redes Sociais
Facebook | Flickr | Instagram | TikTok | Twitter | YouTube.
Pelo celular, no WhatsApp.

Informações
Anselmo Dequero
Assessor de Imprensa
imprensa@edmirchedid.com.br
(11) 99952 1200

Rolar para cima