Aedes aegypti: Edmir Chedid apoia mobilização social do governo de SP

Compartilhar

SÃO PAULO – A Secretaria de Saúde iniciou nesta segunda-feira (27), em parceria com os 645 municípios, a Semana Estadual de Mobilização Social contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. A iniciativa, que recebeu apoio do deputado Edmir Chedid (União) na Assembleia Legislativa, está fundamentada em orientações sobre prevenção e controle das doenças.

“Esta é uma atividade importante do governo estadual. Este é um alerta para que toda a população possa se mobilizar contra o Aedes aegypti. Afinal, todos nós temos responsabilidades em combater o mosquito transmissor da doenças. Por esse motivo, reitero o pedido para que todos atuem como agentes de mobilização, informando seus amigos e seus familiares”, disse o parlamentar. 

De acordo com Edmir Chedid, os índices de transmissão das arboviroses –que são doenças causadas por vírus transmitidos por mosquitos –, estão associados à adaptação do inseto às condições ambientais, especialmente o calor. Indicadores apontam situação de risco em oito municípios; 79 estão em alerta no Estado. “Não podemos deixar que a transmissão se alastre”, afirmou.

O parlamentar explicou que até a última sexta-feira (24), foram confirmados 311.863 mil casos de dengue no Estado de São Paulo, em 625 municípios; o total de óbitos pela doença chegou a 276. Em relação à chikungunya, há 2.153 casos confirmados, em 137 municípios, com 12 mortes. “Também há quatro casos de zika vírus registrados neste ano, o que nos preocupa”, declarou.

Imagem: Larvas do mosquito Aedes aegypti (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil).

Disponível em Áudio

Orientações
A Secretaria de Estado de Saúde orienta a população a procurar um serviço especializado caso apresente qualquer sinal ou sintoma de dengue, chikungunya ou zika, como dores no corpo e febre. O diagnóstico e o tratamento para as doenças são oferecidos de forma integral e gratuita nos postos e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, elimine pratos de plantas (opte por pratos justos ao vaso) que acumulem água; descarte pneus usados em postos de coleta; retire objetos que acumulem água de quintais, como potes e garrafas; e verifique possíveis vazamentos em qualquer fonte de água. “Fiquem atentos às lixeiras e caixas d’água mal vedadas”, acrescentou.

“Os criadouros do Aedes aegypti são todos os locais onde os mosquitos depositam ovos, que se transformam em larvas e mosquitos. A eliminação desses criadouros é uma estratégia fundamental no controle da proliferação do Aedes aegypti e prevenção das doenças. Alguns exemplos de criadouros são os recipientes de água parada, como calhas entupidas”, concluiu Edmir Chedid.

Redes Sociais
Facebook | Flickr | Instagram | TikTok | YouTube.
Pelo celular, no WhatsApp.

Informações
Anselmo Dequero
Assessor de Imprensa
imprensa@edmirchedid.com.br
(11) 99952 1200

SÃO PAULO, 27/11/2023

Rolar para cima