SP cria Plano de Risco e Resposta Rápida para coronavírus

Compartilhar

SÃO PAULO – A Secretaria de Estado da Saúde criou um Plano de Risco e Resposta Rápida para monitorar o avanço do coronavírus. Embora a circulação esteja restrita à China, a secretaria mobilizou uma rede para observar o cenário internacional, bem como dialogar com o Ministério da Saúde e os profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) em São Paulo.

De acordo com o deputado Edmir Chedid (DEM), a atividade será acompanhada pela Assembleia Legislativa (Alesp), por meio da Comissão de Saúde. Nesta terça-feira (28), o parlamentar havia confirmado a preocupação do Poder Legislativo com o avanço da doença no país de origem. “É preciso estar atento a fim de evitar a proliferação mundial do vírus”, disse.

Membro efetivo da Comissão de Saúde, o parlamentar destacou que as autoridades internacionais analisam a dinâmica de transmissão do vírus, suas manifestações clínicas e sua fonte de infecção. “A secretaria está difundindo à rede de saúde estadual as recomendações iniciais de prevenção, baseadas nos protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

Não há caso confirmado de coronavírus no país ou no Estado. Por isso, não há recomendação estrita aos que residem no território nacional. “Mas é importante seguir os mesmos cuidados previstos na ‘etiqueta respiratória’, com relação à gripe. Cubra a boca ao tossir ou espirrar, lave as mãos frequentemente e não compartilhe objetos de uso pessoal”, completou.

Imagem: Atividade está sendo coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde.

 

Assistência
Os profissionais da saúde deverão orientar a identificar casos suspeitos com critérios clínicos e epidemiológicos. Do ponto de vista clínico, devem ser observados casos com febres e sintomas respiratórios, como dificuldade para respirar, associados a histórico de viagem na área com circulação do vírus, contato com caso suspeito ou confirmado para coronavírus.

Como toda doença infecciosa, o tratamento do coronavírus é realizado conforme o quadro clínico do paciente e deve ser iniciado imediatamente, independentemente da confirmação laboratorial. Se necessário, amostras deverão ser coletadas o mais rápido possível e enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional situado em São Paulo.

 

Notificação
Os casos suspeitos de infecção pelo coronavírus devem ser notificados pelo serviço de saúde que atender o paciente imediatamente, em até 24 horas. A comunicação deve ser feita à respectiva Secretaria Municipal de Saúde e ao CIEVS estadual (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde), por telefone (0800 555 466) ou e-mail (notifica@saude.sp.gov.br).

As informações devem ser inseridas na ficha de notificação definida pelo Ministério da Saúde. Os interessados em saber sobre o cenário nacional podem consultar o site do Ministério da Saúde. As novidades sobre o cenário internacional estão relatadas nos boletins da OMS. “É importante que todos estejam atentos contra esta ameaça”, finalizou Edmir Chedid.

 

Redes Sociais
Facebook | Instagram | Twitter | YouTube.
Pelo celular, no WhatsApp.

Informações:
Anselmo Dequero
Assessor de Imprensa
jornalismo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
(11) 99592 5118

Rolar para cima