Negligência é a violação que mais afetou morador de rua em 2018

Compartilhar

SÃO PAULO – O Disque 100 encerrou 2018 com 889 denúncias de violações aos direitos humanos das pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social. A afirmação consta de relatório elaborado pelo governo federal, por meio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), encaminhado nesta quinta-feira (13) ao deputado Edmir Chedid (DEM).

De acordo com o documento, entre as denúncias estão às relativas à negligência (673), violência psicológica (183) – como hostilização, humilhação e xingamentos -, violência institucional (161) e violência física (116). “É muito lamentável saber que o desrespeito ao ser humano ainda continua crescendo em nosso país; não podemos mais aceitar este tipo de situação”, complementou.

O parlamentar explicou que as vias públicas – como avenidas e ruas de regiões centrais – foram o principal local onde as violações mais foram cometidas no ano passado (70.7%); também há muitos registros de abusos em albergues (6,47%), locais que deveriam servir como espaço de acolhimento. “Em 2017 foram registradas 996 denúncias e, em 2016, 937. Isso precisa acabar”, disse.

O desrespeito aos direitos humanos da população em situação de rua afeta mais homens (57%) do que mulheres (27,6%), considerando o universo daqueles que informaram seu gênero. “O relatório evidencia, complementarmente, que as vítimas são, na maioria das vezes, os adultos jovens. Segundo o documento, 24,5% das vítimas tinham de 18 a 30 anos e 23% de 31 a 40 anos de idade.”

 

Redes Sociais
Facebook | Instagram | Twitter | YouTube.
Pelo celular, no WhatsApp.

Informações:
Anselmo Dequero
Assessor de Imprensa
jornalismo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
(11) 99592 5118

Rolar para cima