Deputado cobra mais segurança para a Região Bragantina

Compartilhar

Documento de Edmir Chedid entregue ao secretário-adjunto Sérgio Turra Sobrane foi elaborado com base em dados oficiais.

SÃO PAULO – O aumento nos índices de criminalidade registrado pelos municípios do Circuito das Águas e da Região Bragantina deverá ser novamente analisado pelo Poder Executivo, por meio da Secretaria da Segurança Pública (SSP), em setembro. A confirmação ocorreu nesta terça-feira, 29/08, pelo secretário-adjunto da Segurança Pública, Sérgio Turra Sobrane, durante reunião com o deputado Edmir Chedid (DEM) na sede da pasta, no centro da capital.

De acordo com o parlamentar, apesar de os índices de criminalidade divulgados pela Secretaria mostrarem queda bastante significativa no comparativo entre 2015/2016, o número de ocorrências poderia ser maior caso houvesse registro dos crimes pela comunidade. “Muitos deixaram de realizar o boletim de ocorrência simplesmente pelo fato de desacreditarem no trabalho das polícias Civil e Militar. Este um dos motivos para os índices positivos da SSP”, afirmou.

Edmir Chedid explicou que, com base no relatório elaborado por gestores públicos municipais, o número de assaltos a agências bancárias e arrombamento de caixas eletrônicos cresceu nos últimos anos. “Também se tornaram muito frequentes nessa região os assaltos à mão armada e sequestros-relâmpago. Para nós, são fatos lamentavelmente inusitados que preocupam pela violência e pelos riscos à comunidade e aos turistas que visitam nossa região”, completou.

Apesar de os índices de criminalidade mostrarem queda no Circuito das Águas e na Região Bragantina, o deputado Edmir Chedid lembrou que as ocorrências de roubo de carga aumentaram no biênio 2015/2016, de 71 para 126 casos. Somente no primeiro semestre deste ano, foram 114 ocorrências registradas pela Polícia Civil. “Outra preocupação é quanto o aumento significativo de ocorrências de estupro de vulnerável; só neste ano foram 88 casos”, garantiu.

Por fim, o parlamentar destacou que é preciso aumentar o efetivo das polícias, garantindo aos profissionais melhores condições de trabalho. Na ocasião, lembrou ainda que é necessário ampliar o número de ações que resultem em mais segurança à comunidade e aos turistas. “Temos que realizar o ‘mutirão da segurança pública’ com a participação efetiva do governo estadual e das prefeituras. Não podemos mais aceitar a atividade realizada”, disse Edmir Chedid.

Imagens

Copom
Na ocasião, o parlamentar criticou o modelo de gestão da Secretaria, que resultou na unificação das atividades do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). A medida retirou dos municípios do Circuito das Águas e da Região Bragantina o atendimento telefônico 190. “Anteriormente, todos os policias que atendiam as chamadas conheciam a realidade do município. Hoje, com a centralização, as chamadas são atendidas em Campinas ou São Paulo”, concluiu.

A Secretaria da Segurança Pública informou que as chamadas originadas a partir dessas regiões são atendidas pelo Copom / Campinas. Quando ocorre o aumento do serviço no Centro de Operações, as chamadas são automaticamente direcionadas a São Paulo ou para os demais centros do Estado de São Paulo. O sistema operacional utilizado pela Polícia Militar, ainda segundo a Secretaria, é similar em todos os locais, o que garante a eficiência das atividades policiais.

Disponível em Áudio | Disponível em Vídeo

SSP
A Secretaria da Segurança Pública garantiu que as reivindicações do deputado Edmir Chedid e dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios do Circuito das Águas e da Região Bragantina serão “devidamente analisadas no próximo mês”. O secretário-adjunto Sérgio Turra Sobrane explicou que os dados também serão discutidos por diretores da SSP e, posteriormente, apresentados para os responsáveis pelas polícias Civil e Militar que atuam nessas regiões.

“O estudo será fundamental para que possamos redefinir nossa estratégia em nível regional. Como não há recursos financeiros disponíveis no orçamento para a contratação de profissionais ou aquisição de equipamentos, a SSP precisa apostar no serviço de inteligência. A comunidade também precisa colaborar com as atividades policiais, sempre registrando o boletim de ocorrência para que as estatísticas sejam condizentes com a realidade”, finalizou Sérgio Turra Sobrane.

Acompanhe também pelo FacebookGoogle +InstagramTwitter e YouTube.
Pelo celular, Telegram e WhatsApp.

Anselmo Dequero | MTB 29.034
anselmo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
11.99610 1419

Rolar para cima