Estado conclui 80% das obras de interligação Jaguari-Atibainha

Compartilhar

Interligação Jaguari-Atibainha é uma obra prioritária da Sabesp para garantir o abastecimento para a população.

NAZARÉ PTA. – A Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos realizou nesta segunda-feira, 24/07, a escavação dos últimos três metros de rocha que separavam as frentes de trabalho das obras de interligação das bacias hidrográficas do Cantareira e Paraíba do Sul. A iniciativa deverá resultar em mais segurança hídrica à Região Metropolitana de São Paulo e ao Vale do Paraíba.

A escavação é uma das etapas mais complexas da interligação das bacias hidrográficas, principalmente por conta das dimensões do túnel: são 6,4 quilômetros de extensão, cinco metros de altura e quatro metros de largura, numa seção de 20 metros quadrados. Quando concluído, permitirá transportar o equivalente ao volume de água de uma piscina olímpica em apenas cinco minutos.

“A escavação de hoje ocorreu no trecho noroeste do túnel, onde está localizada a Represa Atibainha, parte do Sistema Cantareira, em Nazaré Paulista. Já o trecho sudeste fica mais próximo da represa Jaguari, parte do Paraíba do Sul, entre os municípios de Igaratá e Santa Isabel”, disse o deputado Edmir Chedid (DEM), um dos apoiadores deste projeto executivo que teve início em 2016.

Este outro trecho, com dimensões aproximadamente idênticas ao primeiro, continua sendo escavado e ainda requer a detonação de mais 550 metros de rocha para o encontro efetivo das outras duas seções restantes. “Este trabalho realizado pelo Estado é necessário para vencer uma barreira geográfica de quase 260 metros de altura, a Serra do Ribeirão Acima”, finalizou o parlamentar.

Interligação
A interligação Jaguari-Atibainha é uma obra prioritária da Sabesp para garantir o abastecimento à população, ao lado da Parceria Público-Privada São Lourenço e da captação no Rio Itapanhaú. Trata-se da primeira obra de saneamento no Brasil sob o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), uma vez que está enquadrada como obra do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O investimento de R$ 555 milhões é financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). As obras são executadas pelo consórcio BPC, constituído pelas empresas Serveng/Civilsan, Engeform e PB Construções Ltda. Atualmente, de acordo com dados do governo estadual, a escavação do trecho elevou para 80% o cronograma de conclusão da obra.

Acompanhe também pelo FacebookGoogle +InstagramTwitter e YouTube.
Pelo celular, Telegram e WhatsApp.

Anselmo Dequero | MTB 29.034
anselmo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
11.99610 141

Rolar para cima