CPI: Diretor-presidente do Detran-SP presta esclarecimento à Alesp

Compartilhar

Maxwell Borges de Moura Vieira disse que defende as atividades da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

SÃO PAULO – O diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Borges de Moura Vieira, afirmou nesta quarta-feira, 05/07, que defende as atividades da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada com a finalidade de apurar as denúncias sobre supostas irregularidades na suspensão de pontos e também na emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Estado de São Paulo.

Em seu depoimento prestado aos parlamentares, chegou a destacar que todas as denúncias recebidas pela autarquia são apuradas com o objetivo de garantir que a qualidade dos serviços prestados para os cidadãos pelo “maior Departamento de Trânsito da América Latina”, segundo sua própria avaliação para a Assembleia Legislativa, não seja interrompida e tampouco prejudicada.

“Tudo o que a gente recebe no Detran.SP a gente apura. Esta CPI, inclusive, foi instalada por meio de uma ação do Departamento; tivemos um caso em que nossa auditoria interna fez todo o levantamento (…). Então, o que a gente busca é trazer a segurança e que nenhum tipo de irregularidade aconteça em nenhum dos processos do Detran.SP”, disse Maxwell Borges de Moura Vieira.

Na ocasião, o deputado Edmir Chedid (DEM), membro efetivo da CPI do Detran.SP, garantiu que a Comissão conseguirá, até o fim de outubro deste ano, elaborar um relatório que possa resultar em esclarecimentos e melhorias para os serviços prestados pela autarquia à população. “A gente espera é que não haja fraude, pois onde existe fraude há sempre os que são beneficiados”, concluiu.

Disponível em Vídeo

Novo Detran.SP
Na oitiva aos parlamentares, o diretor-presidente do Detran.SP também falou sobre as reformulações no Departamento, que já beneficiam os cidadãos em todas as unidades da autarquia no Estado. O Novo Detran, segundo ele, traz uma “mudança significativa na relação com os cidadãos”, com a sua estrutura descentralizada, com as empresas prestadoras de serviços e com os municípios.

“Um exemplo é a emissão da 2ª via da Carteira Nacional da Habilitação. Atualmente, o usuário leva as cópias de seus documentos. Agora, com a biometria cadastrada no local, não será necessário”, concluiu Maxwell Borges de Moura Vieira. Ele deverá participar de outras reuniões a partir de agosto conforme o cronograma estipulado pela CPI do Detran.SP da Assembleia Legislativa.

Acompanhe também pelo FacebookGoogle +InstagramTwitter e YouTube.
Pelo celular, Telegram e WhatsApp.

Anselmo Dequero | MTB 29.034
anselmo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
11.99610 1419

Rolar para cima