Alesp reitera importância de campanha contra o Aedes aegypti

Compartilhar

Imagem de Arquivo | Atividade está sendo coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde em parceria com as prefeituras.

SÃO PAULO – A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) intensificou nesta quinta-feira, 23/02, aos servidores e à comunidade a importância das estratégias realizadas em nível estadual com a finalidade de ampliar a cobertura das visitas domiciliares, bem como da ampliação dos serviços de mobilização contra o Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika.

A iniciativa, instituída em atendimento às solicitações do 2º Secretário do Poder Legislativo, deputado Edmir Chedid (DEM), foi executada com base nas atividades desenvolvidas pela Secretaria da Saúde. “No ano passado, foram vistoriados mais de 42 milhões de imóveis no Estado para a eliminação de focos de mosquito; somente no mês de janeiro deste ano foram 744,9 mil imóveis”, disse.

De acordo com o parlamentar, as ações da campanha têm apresentado resultados bastante significativos na diminuição da infestação de Aedes aegypti e na diminuição dos casos de dengue, chikungunya e zika. “Ainda assim, a incidência de chuvas no verão e o deslocamento da população nas férias reforçam a necessidade de manter a atenção sobre os focos do mosquito”, complementou.

Por fim, Edmir Chedid relembrou que a Assembleia Legislativa e o governo do Estado estão em alerta aos sinais da febre amarela e da ocorrência de casos de óbitos entre a população. “Como o Aedes foi o principal vetor de transmissão da doença na epidemia ocorrida na década de 1940, é preciso continuar os esforços de mobilização na campanha contra o mosquito”, finalizou.

Informações
Em 2016, o governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, declarou à Assembleia Legislativa (Alesp) que o número de casos da doença foi reduzido em 76%; o número de óbitos apresentou queda de 80%. Em 2015, foram registrados 684.830 casos da doença contra 162.043, em 2016. Já o número de óbitos caiu de 488 para 97, no mesmo intervalo de um ano.

Em 2017, até o momento, foram confirmados 47 casos de dengue e uma morte em decorrência da doença. O número é bem inferior ao registrado no mesmo período de 2016, quando ocorreram 49.948 casos e confirmadas 44 mortes. Mesmo com os resultados positivos, a luta contra os focos do mosquito transmissor das chamadas arboviroses deve prosseguir com intensidade.

Acompanhe também pelo FacebookGoogle +InstagramTwitter e YouTube.
Pelo celular, Telegram e WhatsApp.

Anselmo Dequero | MTB 29.034
anselmo@edmirchedid2.hospedagemdesites.ws
11.99610 1419

Rolar para cima